Embalagens Plásticas: Por que são indispensáveis?

As embalagens são fundamentais em nosso dia a dia, sobretudo em nossa alimentação. Porém, mais do que funcionais, as embalagens plásticas trazem outros benefícios tanto para a saúde quanto para evitar desperdícios.

Você sabia que mais de um bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçadas todos os anos? Isso contando todo o ciclo de vida dele, desde a etapa de produção até o momento em que é adquirido pelo consumidor final.

E o plástico desempenha um papel crucial na redução desse número exorbitante.

Antes de mais nada é preciso destacar a importância dos produtos plásticos em toda e qualquer cadeia de produção. Como o artigo de hoje é mais voltado à área alimentícia, podemos exemplificar nesse segmento, mais precisamente na agricultura.

Desde as tubulações até o própria sistema de irrigação, o plástico se faz presente, seja em componentes específicos ou em grande parte do sistema.

Depois, durante o armazenamento e transporte, vemos mais uma vez diversos itens plásticos: peças de máquinas, estrados, caixas e sacas que possuem polímeros em sua composição. E assim por diante, ele aparece constantemente, e varia de acordo com a aplicação.

Voltando ao tema central do artigo, veja por que as embalagens plásticas assumiram esse protagonismo na indústria alimentícia.

Redução do Desperdício
A maior questão é a do desperdício alimentício. Aquela informação que citamos no início do artigo, acerca do desperdício de mais de 1 bilhão de toneladas de alimentos todo ano, é de uma pesquisa realizada pela empresa britânica Trucost, apoiada pela Braskem.

Quando a palavra desperdício de alimento vem à cabeça, logo imaginamos o desperdício individual/familiar, ou seja, aquele do consumidor final, quando um produto vence ou não é ingerido. Entretanto, quando focamos nesse conceito, deixamos de lado algumas “externalidades”.

As externalidades são literalmente todos os esforços envolvidos na produção: o tempo humano levado para produzir, os insumos (energia, combustível e afins) da produção e transporte, os impactos ambientais e muitas outras coisas.

Quando o desperdício é avaliado englobando as externalidades, percebemos a importância de consumir (e descartar) conscientemente.

Deixe seu comentário